NOSSA HISTÓRIA

Criada em 27 de junho de 1936, com a denominação de Grupo Escolar de Nova Bassano, pelo decreto número 6.240. Iniciou seu funcionamento em 02 de março de 1937. Na época, Nova Bassano era o segundo distrito de Nova Prata, onde era prefeito Adolfo Schineider, sendo governador o General Flores da Cunha. A primeira diretora foi Avelina Finger Davi.

Pe. Colbachini

 

Avelina Finger Davi – 1ª Diretora

 

     

            Em 1959 passou a denominar-se Grupo Escolar Pe. Pedro Antônio Colbachini. O Colégio recebeu esta denominação patronímica, em homenagem ao primeiro padre a chegar em nossa terra, acompanhado pelos imigrantes italianos. Pe. Pedro Antônio Colbachini é também o patrono do Colégio.

            Em 1960 iniciou a funcionar o Jardim de Infância.

Prédio do antigo frigorífico, na época da Escola Agrícola, na década de 1960

 

A história do Colégio Colbachini, a partir da década de 60, se confunde com a história da Escola Agrícola, escola particular, criada em 1961 pelo Pe. Mario Bianchi. A Escola Agrícola, ao longo dos anos, foi sofrendo transformações, entre elas: Educandário São Carlos, Ginásio Agrícola Industrial, Ginásio Orientado para o Trabalho, Colégio João XXIII (1971 – formatura da primeira turma de Normalistas; 1972 – curso Integrado; 1974 - curso de Magistério e Contabilidade; 1975 - curso de Auxiliar de Adubação). Naquela época, o Grupo Escolar Pe. Pedro Antônio Colbachini, funcionava como Curso Primário de Aplicação da Escola Normal João XXIII.

Construção do prédio atual, também na década de 1960

 

Em 1975 iniciou o funcionamento da 6ª série, estendida nos anos subseqüentes à 7ª e 8ª série, ao mesmo tempo em que foram cessando estas séries no curso ginasial do Colégio João XXIII, processo encerrado em 1977. No mesmo ano, com a reorganização do ensino no país, seu nome foi alterado para “Escola Estadual de 1º Grau Pe. Pedro Antônio Colbachini”. A partir de 1986,  houve também a passagem gradativa da escola particular à pública, e a cessação progressiva da Escola de 2º Grau João XXIII, que deixou de funcionar no ano de 1989. Neste momento, no  2º Grau, houve apenas a oferta do curso de Preparação para o Trabalho (ou Científico). A partir de 26 de março de 1987, a instituição foi transformada em “Escola Estadual de 1º e 2º Graus Pe. Pedro Antônio Colbachini”. A partir do ano de 1989 retomou-se a oferta do Curso de 2º Grau em Técnico em Contabilidade, interrompida no ano de 2000, pela nova reestruturação do ensino no país, passando a ser, a partir de então, Ensino Médio (nos 3 anos de estudo), com Curso Técnico em separado (em mais 1 ano de estudo). Neste ano, assim, mudou também a denominação da instituição, passando a ser “Colégio Estadual Pe. Colbachini”.

Turma de alunos do antigo Ginásio Vocacional, nos anos 60

           O Grupo Escola Pe. Pedro Antônio Colbachini funcionou inicialmente numa casa na Rua General Neto transferindo-se depois para outro prédio, de dois pisos, em frente à Igreja Matriz. Após, mudou-se para uma nova construção, também em madeira, na Rua Sílvio Seganfredo, próximo à Brigada Militar. No decorrer de sua trajetória, alguns anos depois, na década de 1970 passou a funcionar no prédio de material com 4 salas de aula localizado em frente à Prefeitura Municipal.

Na década de 60-70 e 70-80, os espaços físicos da escola pública (prédio em frente à Prefeitura Municipal) e da escola particular- confessional (logo abaixo, onde hoje funciona o Colégio), foram alvo de permutas, até que o prédio atual foi adquirido pelo Estado, no ano de 1986.

O atual prédio do Colégio foi construído em 1964 para abrigar a Escola Agrícola, e era formado por 3 alas. Possuía sala de aula, oficinas de costura, técnicas industriais (marcenaria), técnicas agrícolas, avicultura, laboratório de ciências, sala de mecanografia, culinária, biblioteca. Este prédio foi completamente reformado e ampliado em 1995, com a construção de uma nova ala, com mais 4 salas-de-aula, laboratório de ciências, laboratório de informática, biblioteca e auditório, e construção do seu ginásio de esportes. No ano 2001, novamente as instalações  foram ampliadas, com a construção de novo pavilhão, para abrigar  mais 4 salas de aula. No ano de 2009 o seu ginásio de esportes foi totalmente reformado, passando a oferecer melhores condições de aproveitamento deste importante espaço pedagógico.

Nova ala, inaugurada no ano de 2001

 

No ano 2000, o Colégio viveu novamente um momento único, com a concomitância de vários fatos: 1) implantação da nova estrutura de ensino, que passa a denominar Educação Infantil (para o Jardim de Infância), Ensino Fundamental (de 1ª e 8ª séries), Ensino Médio (para o 2º Grau) e Educação Profissional (para o Curso Profissionalizante), que passa a ser oferecido em separado, num 4º ano de estudo; 2) troca da denominação para Colégio Estadual Pe. Colbachini; 3) reorganização do Regimento Escolar juntamente com a participação na Constituinte Escolar. No ano de 2002 houve a implantação do novo regimento escolar e implantação de novas modalidades de ensino (EJA e Técnico em Administração). Em 2004 a escola organizou a sua 1ª Feira do Livro, com o Patrono Charles Kiefer, com o objetivo de construir  alunos leitores, com o escritor presente na sala de aula. Desde então a escola realiza a sua Feira do Livro, que é um marco para o Colégio e toda a comunidade, dado o envolvimento de todos na sua realização, desde a leitura dos livros, organização dos espaços e acolhida aos escritores. No mesmo ano de 2004, realizou o 1º Debate Político com os candidatos a prefeito de Nova Bassano, pois a escola é o espaço plural de construção de cidadania. Em 2006, na 3ª Feira do Livro, foi publicado o livro “Tesouro de Pano”, de Luís Dill, que se inspirou na Bandeira da Paz, construída pelos alunos, professores e funcionários, onde a história de cada um foi representada  por um retalho de tecido e costurada no coletivo do Colégio.  Em 2009 tivemos a visita da Secretária Estadual de Educação, na abertura do ano letivo, assim como a inauguração da reforma do ginásio de esportes, que foi uma conquista de toda a comunidade escolar. Em 2010 houve a inauguração de um segundo laboratório de informática educativa, com o sistema Linux e a implantação da Proposta Pedagógica construída a partir do Programa Estadual Lições do Rio Grande. Entre tantas outras ações e projetos, isso mostra como, a cada ano, a escola não para de trabalhar no sentido de  “constituir um processo permanente de vida que leve à construção de sujeitos históricos, críticos, protagonistas de uma sociedade plural, solidária, ética e cidadã”, o que é a sua filosofia.

Livro Tesouro de Pano, de Luís Dill

             A História pertence aos homens com suas construções. O Colégio Estadual Pe. Cobachini faz parte da história de seu povo e de sua gente.